Rede Héstia – por Bárbara Fortes

Bárbara Fortes é uma querida participante da rede Héstia que, como muitas das grandes mulheres presentes no grupo, conta que tem como desafio equilibrar bem a vida profissional e pessoal. Ela, que é economista, tem suas ações e negócios focados em sustentabilidade. Atualmente é diretora de retail da Maybelline, respondendo pela operação dos quiosques da marca, a qual, aliás, esteve presente em um dos encontros da rede sobre auto-conhecimento e auto-expressão, dando um toque cheio de beleza ao momento.

Para Bárbara, beleza é autenticidade, e nós concordamos com isso! Ela também acredita que somos nós mulheres que abriremos as portas umas para as outras em direção aos nossos objetivos.

“Para isso é importante conhecermos as aspirações de cada integrante da rede e reunir ferramentas para ajudá-la. A Rede Héstia cria um ambiente onde podemos, livres de competição desnecessária, compartilhar nossas histórias e desejos, contando com este apoio mútuo”, afirma Bárbara. Confira o papo!

Bárbara, pode nos contar um pouquinho de sua formação e trajetória profissional?

Sou economista e essa formação se traduz na busca por criar, desenvolver e ampliar negócios. Acredito no empreendedorismo como a força motriz do crescimento econômico e evolução do bem-estar. Cada indivíduo é capaz de realizações incríveis e o meu papel como líder é agregar este poder em equipes que trazem grandes resultados. Minha paixão é criar negócios, desenvolver times e trazer conquistas importantes.

Hoje trabalho na L’Oreal Brasil com a operação dos quiosques Maybelline – rede de 185 pontos de venda construída desde o primeiro quiosque pela nossa equipe. Em 2017 lançamos as lojas NYX Professional Make-up com grande sucesso, colocando o Brasil em destaque com a maior abertura da marca no mundo.

Além destes aspectos que você nos contou, o que mais você poderia dizer para descrever a Barbara como mulher?

Como mulher enfrento desafios comuns a muitas de nós: equilibrar a vida pessoal e profissional, lidar com as expectativas tradicionais de gênero e alçar a voz em um mundo sutilmente preconceituoso e ainda despreparado para a ascensão feminina. Nosso papel é transformar este status-quo – não tenho todas as respostas, mas cada passo é uma vitória.

Sou casada, tenho um cachorro e arrendamos um sítio com cultivo hidropônico e manejo sustentável. Sustentabilidade é um tema que pauta minhas ações e meus negócios – que, para serem realmente bons, precisam se sustentar ao longo do tempo, trazendo impactos positivos para a sociedade.

Você trabalha no segmento de beleza, que é uma questão que mexe com as mulheres de forma muito especial. O quanto acha que o ato de cuidarmos de nossa imagem ajuda em nossa autoestima?

Já passamos da época que a maquiagem era para “esconder” ou “disfarçar” imperfeições. Hoje, cuidar da nossa imagem é uma forma de auto-expressão. Ao nos empoderarmos da mensagem que nosso rosto e nosso corpo transmitem para a sociedade, fortalecemos nossa autoestima.

Você teria algumas dicas relacionadas ao “cuidar-se” para as mulheres que estão lendo? Como começo a me cuidar e me sentir mais bonita para transmitir um sentimento maior de confiança a mim mesma e ao mundo?

A beleza está nos olhos de quem vê – e o primeiro olhar é o seu. Seja gentil consigo mesma e o seu olhar revelará sua beleza, única e inerente a cada ser humano. Beleza não é perfeição, não é padrão: é autenticidade. Expressando nosso espírito e em equilíbrio com nossos valores e nossas ações, a beleza está ao alcance de todas nós.

A Maybelline participou de um dos eventos da Héstia relacionado a automaquiagem. Poderia contar um pouco como foi e por que a marca decidiu participar?

Foi um prazer estar presente em um encontro da rede. Levamos um bate-papo sobre auto-conhecimento e auto-expressão, ensinando as mulheres a usarem seus próprios produtos de maquiagem, além dos presentinhos de Maybelline. A presença da Patty Scottolo, que ofereceu sua linda casa, também fez toda a diferença. Queremos voltar!

Como você enxerga uma rede como a Héstia? Acredita que as mulheres têm que se apoiar? Por quê?

Somos nós mulheres que abriremos as portas umas para as outras em direção aos nossos objetivos. Para isso é importante conhecermos as aspirações de cada integrante da rede e reunir ferramentas para ajudá-la. A Rede Hestia cria um ambiente onde podemos, livres de competição desnecessária, compartilhar nossas histórias e desejos, contando com este apoio mútuo.

Para este ano, quais os desafios da “Barbara” como profissional e como mulher?

Acredito que 2018 será um ano de inflexão. Os indicadores econômicos apontam para a recuperação pós-crise e as eleições serão um momento de renovação no Brasil. O encontro de gerações fomenta um novo diálogo sobre gênero, consumo e trabalho em todo o mundo e vários conceitos tradicionais estão sendo revistos. É um momento de muita inquietação, mas com a vibração positiva que antecede as grandes transformações.

Quero estar pronta para estas grandes mudanças, liderando a minha equipe, meus negócios e a minha família com visão e segurança para que se beneficiem dessas evoluções. As relações interpessoais precisam evoluir, as relações de trabalho e consumo precisam evoluir e quero desempenhar bem o meu papel nessa (r)evolução.

Gostaria de deixar um recado às Héstias que estão lendo?

Contem comigo.

Siga a Rede Hestia:
error