Rede Héstia – por Andréa Eboli

Andrea Eboli parece estar ligada no 220. Como ela mesma conta, é apaixonada pela vida, cuida da mãe, dos amigos, dos filhos, do marido, adora viajar, trabalhar, aprender. Ufa! E é uma querida participante da rede héstia, que tem muito a ensinar com sua disposição e vontade de fazer sempre o melhor. Andrea também criou a Mirandas, empresa de venda direta com produtos super diferenciados que já apoiou a Héstia algumas vezes em eventos.

E por que o apoio? “Porque acredito muito na força feminina. Acho que ela pode ser transformadora. Acho que quando as mulheres se unem legitimamente o resultado pode ser incrível. A rede Héstia traz um pouco desta proposta: unir pessoas do bem que querem dividir para crescer. Isso me encanta. Acho que o mundo do futuro é o mundo de compartilhamento, empreendedorismo e solidariedade. Acredito que a rede Héstia pode ser um grande propulsor de tudo isso”, explica. Confira o papo!

1.Andrea, pode nos contar um pouquinho de sua formação e trajetória profissional?
Eu sou formada em Marketing pela PUC de Campinas, fiz MBA na FGV, especialização em Mkt Digital pela NYU em NY, e doutorado na Swiss Business School em Zurich. Trabalhei durante 15 anos na Natura, onde entrei como trainee e saí como Diretora de MKt. Minha vontade de empreender falou mais alto e tive a difícil decisão de abrir mão de uma carreira executiva de sucesso e numa empresa que eu adoropara seguir o meu caminho com a minha própria empresa.

2. Como surgiu a ideia de criar a Mirandas e por quê? Pode nos contar mais um pouco sobre o desafio de mudar a trajetória e empreender?
A Mirandas nasceu porque existe hoje no Brasil uma grande oportunidade no mercado de venda direta. As empresas são muito tradicionais, vendendo sempre produtos de cosméticos que estão ha muitos anos no mercado. A Mirandas é o market Place da VD. Nosso objetivo é oferecer oportunidade para que outras empresas operem neste canal sem precisar investir, e para as pessoas que já atuam neste mercado. Elas podem vender outras coisas e oferecer outros tipos de produtos para seus clientes. A ideia também surgiu de meu imenso desejo de construir minha própria história e meu próprio sonho.

3. Como você enxerga as mulheres com relação ao empreendedorismo? Acredita que há alguns diferenciais ou dificuldades específicas?
Eu acho que tomar a decisão de empreender não é fácil, e empreender no dia a dia é algo mais difícil ainda. Existe um romance em relação ao tema que tento evitar. Acho que é uma coisa mágica transformar ideias em realizações, e acho que é um sonho você conseguir ser rápido, tomar suas próprias decisões e fazer as coisas acontecerem na sua velocidade, vendo seus projetos e sonhos se concretizando. Mas é uma empreeitada e, assim como a carreira executiva, você precisa se dedicar e amar o que faz para ter sucesso. Não vejo o empreendedorismo como uma opção secundária às demandas executivas.

4. Como você descreveria a Andrea como mulher, não apenas como profissional?
Eu sou completamente apaixonada pela vida. Queria multiplicar por 3 cada ano vivido e ficar uns 300 anos por aqui. Será que dá? Amo estar com a minha família, com meus amigos, amo conhecer gente nova, projetos novos e pessoas diferentes. Sou super adepta à diversidade. Aprendo sempre e o tempo todo, amo viajar, e estar cada hora num lugar. Me sinto parte do mundo e não do Brasil ou de São Paulo. Dificilmente perco uma oportunidade por medo ou falta de tempo. Me jogo, invisto, trabalho de madrugada, dou conta de tudo… Cuido da minha mae, das minhas irmãs, dos meus amigos, dos meus filhos, do meu trabalho, organizo as férias, faço meu imposto de renda, organizo a casa, a empresa, programo o cinema ou jantar com o marido no final de semana, e também as viagens de férias nos mínimos detalhes. Sou exigente comigo mesmo e com as pessoas. E não tolero muito pessimismo em relação à vida e suas oportunidades.

5. Você é uma participante da rede Héstia e a Mirandas já apoiou um dos eventos. Poderia contar como foi e por que decidiu participar?
Acredito muito na força feminina. Acho que ela pode ser transformadora. Acho que quando as mulheres se unem legitimamente o resultado pode ser incrível. A rede Héstia traz um pouco desta proposta: unir pessoas do bem que querem dividir para crescer. Isso me encanta. Acho que o mundo do futuro é o mundo de compartilhamento, empreendedorismo e solidariedade. Acho que a rede Héstia pode ser um grande propulsor de tudo isso.

6. Acredita que as mulheres têm que se apoiar? Por quê? Qual o papel da rede nisso?
Claro. Acho que a rede Héstia pode fomentar isso e oferecer pílulas de momentos práticos sobre isso. Já participei de algumas reuniões e me senti muito próxima de pessoas que tinha acabado de conhecer. Isso é mágico. É incrível perceber que nossas lutas e nossos desafios não são únicos e que podemos aprender com pessoas que nem conhecíamos.

7. Acredita que eventos presenciais são importantes para fortalecer as relações? Por quê?
Sim. Acho que são fundamentais. Precisamos fugir um pouquinho do dia para nos conhecer melhor.

8. Para o aniversário de um ano da rede Héstia, a Mirandas oferece algo especial às participantes da rede (um catálogo com descontos especiais e apoio ao projeto social Plano de Menina). Acredita que essas parcerias são importantes? Por quê?
Sim. A Mirandas está fazendo uma campanha especial para a Héstia exatamente por acreditar que podemos sempre fazer mais. Podemos sempre deixar de ser coadjuvantes para sermos protagonistas de histórias. Me sinto honrada em fazer esta parceria com a Hestia porque a Mirandas acredita muito no empreendedorismo, nas mulheres, nas relações mágicas, e na solidariedade entre pessoas. Pensamos: “Qual seria a nossa oportunidade de dizer para este grupo que acreditamos nele e que ele tem uma importância na nossa vida?” Surgiu a campanha.

9. Finalmente, para este ano, quais os desafios da “Andrea como profissional e como mulher?
São muitos. Sempre são muitos. Consolidar a Mirandas; lidar com o fato de que minha filha Luiza está indo morar fora do país para fazer faculdade e dar suporte a ela neste momento; continuar casada e ver o brilho nos olhos do meu marido depois de 22 anos de casada; não deixar a Mariana se sentir sozinha porque a irmã vai embora; retribuir todo o carinho que recebo de meus amigos mesmo não conseguindo dar a atenção que eles merecem; buscar conhecer algo novo a cada dia; fazer o bem para as pessoas que estão próximas; aproveitar cada dia de folga viajando; começar a escrever o meu livro e conseguir falar mais sobre empreendedorismo e auto-estima feminina ajudando as mulheres que passam por minha vida a se sentirem melhor. Ufa! E, por fim e mais importante, fazer tudo isso achando que sou uma privilegiada por ter saúde e disposição para tanta coisa e ser grata ao universo por essa força e fé que me acompanha.

10. Gostaria de deixar um recado às Héstias que estão lendo?
Sim. Queridas amigas héstias, é um prazer estar aqui com vocês. Conhecer cada uma a cada novo post ou a cada novo encontro. Sou privilegiada de fazer parte deste grupo e nunca esqueçam de ter fé em si mesmas e em sua capacidade de transformar e fazer a diferença na vida das pessoas. Juntas somos mais fortes.

Siga a Rede Hestia:
error